Let’s talk about the future: A diferença entre will e going to

22 de outubro de 2020
Por  Iron English

Aprender a falar sobre o futuro é muito importante para aqueles que, assim como o grupo fundador da Iron English, tem perspectiva a respeito da jornada e visam sempre ir mais longe e inovar. Se você está tentando aprender inglês ou aprimorar os seus conhecimentos, provavelmente é o seu caso.

O futuro na língua inglesa pode parecer difícil, com suas múltiplas construções, mas não é. É verdade que existem diferentes formas de se referir ao futuro: podemos usar os present tenses, com o present simple ou o present continuous; expressões como be to e be about to; o modal will; o be going to; entre outros – enfim, a lista continua. Vamos, então, começar por partes. Uma das formas mais frequentes de formação do futuro é utilizando o verbo modal will e a outra forma é utilizando o be going to. Mas você sabe qual é a diferença entre ambos? Pense a respeito dos seguintes exemplos:

Hey, Anna! Do you want to grab a coffee with me tomorrow afternoon?

Sorry, Jess. I am going to study tomorrow afternoon.

Hey, Anna! Do you want to grab a coffee tomorrow afternoon?

I don’t think so, Jess. I will study tomorrow afternoon.

Já sabe a resposta? Confira abaixo nossa explicação a respeito da diferença entre o will e o going to!

 

Be going to 

Formação

A formação do be going to é bastante simples. Utilizamos o sujeito + be going to + verbo em sua base form (isto é, a forma mais simples de um verbo, aquela que encontramos nos dicionários. É a forma infinitiva sem o “to”). Por exemplo: I am going to have a meeting today (nesse caso, a base form é have, sendo sua forma infinitiva to have).

subject + am/is/are going to + base form of the verb

Usos

Going to é utilizado para ações no futuro que revelam intenções e planos; e previsões baseadas em evidência. 

Intenções e planos

Utilizamos o going to quando já havíamos decidido realizar determinada ação. Justamente por isso, refere-se a intenções e planos. No entanto, note que isso não significa que tudo já esteja programado; mas apenas que a decisão já havia sido previamente tomada quando foi comunicada. Exemplo:

Sorry, Jess. I am going to study tomorrow afternoon. 

O que Anna está dizendo? Ela recusa o convite de sua amiga pois, no momento da fala, já havia decidido fazer algo no dia seguinte à tarde. Ela já havia se programado para tal.

O mesmo vale para, por exemplo, os planos de nossa agenda (pessoas metódicas, organizadas e sistemáticas provavelmente usam bastante o be going to!). Por exemplo, observo o meu calendário e verifico que, nesta semana, tenho uma prova para realizar e, alguns dias depois, preciso entregar uma redação. Verifico que me programei para estudar alguns dias antes da prova e irei escrever a redação logo após. Então, afirmo:

Okay, I’m going to have a test on Wednesday. According to my agenda, I’m going to study on Monday from 2 p.m. to 6 p.m. and then on Tuesday from 6 p.m. to 8 p.m. After my test on Wednesday, I’m going to work on my essay, from 4 p.m. to 8 p.m.

Repare que, apesar de ter programado esses compromissos, isso não significa que eles estejam prontamente arranjados. Por que estou chamando atenção para isso? Pois para compromissos organizados e definidos utilizamos o present continuous. Trata-se de uma diferença bastante sutil e, frequentemente, as duas formas são aceitáveis. No entanto, o present continuous é utilizado quando já providenciamos e organizamos o compromisso. Como assim? Ora, para uma reunião ou reserva de restaurante, por exemplo, precisamos comunicar os participantes e tomar as providências necessárias para que o evento aconteça. Assim, dizemos:

Our group is having a meeting tomorrow at 3 p.m.

We are having dinner at 8 p.m. at that Italian restaurant you like. 

Previsões baseadas em evidência

Outro uso do be going to diz respeito a previsões com evidências. Utilizamos o be going to quando a situação atual nos faz acreditar e nos fornece evidências concretas de que algo irá acontecer no futuro. Por exemplo:

Anna! The movie is about to start! Where are you? Aren’t you coming? You are going to miss it! 

O que Jess está querendo dizer? Com base na evidência de que Anna ainda não chegou e o filme está prestes a começar, Jess prevê que ela irá perder o filme.

O be going to pode ser utilizado desta forma em casos como, por exemplo: uma pessoa está passando perto de um buraco e não está enxergando tal buraco, pois está olhando o celular; logo, há uma série de evidências de que ela irá cair. Alguém vê e, então, comunica:

Pay attention! You are going to fall!

 

Will 

O will é um modal verb, isto é, um verbo em inglês que acompanha outros verbos e indica a modalidade, isto é, a possibilidade, probabilidade, permissão, habilidade, solicitação – como can, could, would, should, must, may, might, entre outros. 

O will pode ser utilizado tanto no presente, para expressar crenças; quanto no futuro e também para condicionais. Neste artigo, vamos tratar do uso de will para o futuro. 

Formação

A formação do will também é simples: o verbo auxiliar will é acompanhado do verbo em sua base form. Por exemplo: I will study. I will work. I will cook tonight.

subject + will + base form of the verb

Usos

Will é utilizado para ações no futuro que são decididas no momento da fala. Justamente por isso, as frases são frequentemente acompanhadas por I think… I don’t think…

Vale notar, no entanto, que muitas vezes, quando nos referimos ao futuro, não estamos necessariamente falando de uma ação decidida por alguém. Enquanto o going to revela planos e intenções, sendo programados por alguém, o will pode ser utilizado nos demais casos – desde que não sejam previsões baseadas em evidência, casos nos quais, como vimos, o going to deve ser utilizado.

Desta forma, deve-se utilizar o will para ações genéricas no futuro que não enfatizem a decisão pessoal previamente tomada por alguém; e tampouco previsões baseadas em evidências. Por isso, frequentemente utiliza-se o will para expressar fatos. Exemplo:

“At the moment when they were adapting to distance classes, we will once again face the new with this partial reopening. Naturally, teachers feel insecure, in doubt,” says Giselle Magnossão, pedagogical director of the Albert Sabin school, in the west of the capital. (Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/internacional/en/saopaulo/2020/10/reopening-of-schools-leaves-teachers-unsure-of-coronavirus.shtml). 

O will pode ser utilizado para: previsões, promessas e oferecimento para realização de tarefa.

Previsões

Ora, vimos que o going to também pode ser utilizado para previsões. No entanto, há uma diferença sutil a respeito de seus usos. 

Enquanto o going to revela uma previsão com base em alguma evidência, o will refere-se ao que pensamos e julgamos ser verdadeiro. 

Confira os exemplos:

I think Anna will pass the exam. She is very dedicated. 

In a scenario considered optimistic, Brazil will increase the total number of people considered poor by about 16 million when the emergency aid paid to the most vulnerable ends, at the end of 2020. (Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/internacional/en/business/2020/10/end-of-emergency-aid-will-lead-13-of-brazilians-in-poverty.shtml). 

Promessas a respeito do futuro

O will pode ser utilizado para promessas no futuro. Por exemplo:

Jess, I’m sorry I can’t make it on Saturday. But I promise I’ll be at your birthday party! I won’t let you down!

O will pode ser utilizado para ofertas de ajuda, como, por exemplo:

You are carrying too many books! I’ll help you with it. 

Então, ficou clara a diferença entre will e going to? Entendeu por que a Anna fez usos diferentes em suas colocações? No primeiro caso, Anna já havia programado que iria estudar no dia seguinte; no segundo, Anna decidiu no momento da fala. Simples, né?

Não esqueça, no entanto, das outras diferenças a respeito dos usos de will e going to! 

Quer saber mais sobre gramática? Tem a mesma dificuldade com o passado? Acesse nosso artigo: Entenda melhor o uso do Simple Past e do Present Perfect. 

Newsletter

Inscreva-se para receber conteúdos exclusivos.