Saiba avaliar os indícios de que sua equipe precisa de treinamento urgente

4 de junho de 2020
Por  Iron English

É de conhecimento geral que o desempenho de uma empresa depende diretamente do nível dos profissionais que compõem a sua força de trabalho, afinal, são os colaboradores aqueles a imprimir diretamente em suas atividades profissionais cotidianas a qualidade necessária para que seu negócio vá ainda mais longe.

No entanto, diante de necessidades pontuais, muitas vezes, líderes e gestores acabam por buscar no recrutamento de novos colaboradores a solução para melhorias em seus processos, deixando de perceber em seu próprio ambiente de trabalho pessoas que, diante do menor incentivo que se poderia imaginar, talvez performassem brilhantemente na resolução de um aspecto que pedia por resolução, e o melhor: sem recorrer, para isso, a indivíduos externos à empresa.

Investir em treinamentos é, por isso, uma das alternativas mais eficientes e rápida de formar grupos de profissionais altamente qualificados. E apesar de parecer um tanto quanto óbvio insistir sobre este ponto,  a realidade nos mostra que nem sempre, contudo, o treinamento de equipes figura como alternativa principal entre os líderes de empresas quando o assunto é recalibrar o desempenho do seu time.

A falta de um rigor quase metodológico para perceber quais ajustes podem ser resolvidos por meio de treinamentos pontuais, e quando eles devem ser feitos, é o que mais parece atrapalhar os gestores no momento de ter clareza quanto à necessidade desse tipo de intervenção. 

Por isso, para ajudar na tarefa de decodificar os sinais que denunciam a urgência da oferta de treinamentos às suas equipes é que preparamos a série de dicas a seguir, contendo os principais indícios de que é hora de propor soluções internas aos pontos que não andam tão bem no seu negócio. Confira!

 

  • Queda na qualidade

Fácil perceber isso, não é mesmo? Pois é, mas há de se começar pelo que existe de mais gritante quando o assunto é detectar possíveis sintomas de que sua equipe precisa de uma intervenção urgente, tudo para que haja chances reais de melhora em seu desempenho.

Geralmente, a queda na qualidade pode ser percebida através de inúmeros fatores, como por exemplo reclamações de clientes, desperdícios de materiais, erros de processos, falhas na produção, entre outros, a depender, é claro, do seu tipo de negócio.

Cada um desses sintomas, no entanto, pede por um tipo específico de ação. Por exemplo, a queda na qualidade dos seus produtos e/ou serviços costuma apontar para a necessidade de se fazer uma investigação sobre suas causas; às vezes o diagnóstico aponta para um caso de desmotivação dos seus colaboradores, em outros, o problema é realmente a falta de treinamento. 

De todo modo, vale ressaltar que por “treinamento” entendemos não só aqueles de cunho mais técnico, como também os ligados a operação, atendimento, e mesmo os relacionados ao campo motivacional, caso o problema seja realmente o ânimo dos funcionários para com a execução do seu trabalho.

O objetivo é, pois, de forma geral, entender em quais pontos seu time vêm falhando e que, portanto, estão culminando nesses erros, de modo que, a partir deles, seja possível traçar quais as necessidades reais de treinamento da equipe.

 

  • Alta rotatividade nunca é um bom sinal

Em um mercado tão competitivo quanto o atual, o turnover de funcionários é um dos grandes problemas enfrentados pelas empresas. O processo de rescisão, de recrutamento e de treinamento de novos colaboradores afeta diretamente a produtividade e qualidade da sua empresa: se o seu negócio apresenta alta rotatividade dos seus colaboradores, é sinal de que algo provavelmente não está certo.

As causas para isso são diversas, mas vale sobretudo ressaltar que provavelmente trata-se de uma disparidade entre o que a sua empresa oferece efetivamente aos colaboradores e o que os colaboradores esperam da sua empresa.

Procure, portanto, entender quais são os motivos da alta rotatividade na sua empresa através de pesquisas de desligamento, por exemplo. Isso poderá te ajudar nessa missão. Mas não fique restrito apenas a isso, pois nem sempre os colaboradores podem ser totalmente sinceros em suas respostas.

A solução mais evidente, no entanto, para evitar tal problema é justamente dedicar-se a constituir uma equipe de colaboradores de excelência. Este é sem dúvidas um processo importantíssimo para melhorar a produtividade do  seu negócio, mas que vai além da óbvia atração de novos talentos, pois passa pela retenção dos mesmos. 

 

  • Novas tecnologias e aumento de erros

É natural que as empresas busquem, hoje, ferramentas e sistemas de aperfeiçoamento que  tornem seus processos mais eficientes e seguros. Nesse sentido, trabalhar com sistemas e tecnologia é inevitável para muitos profissionais, independente da sua área de atuação.

 Porém, se a empresa muda de sistema, maquinário, ou de qualquer outra ferramenta tecnológica que organiza seus processos, é fundamental investir em treinamento constante para que sua equipe possa estar apta a lidar com a mudança e se adequar à nova ferramenta. 

O ser humano é um ser de hábitos e que funciona melhor com rotina, portanto, qualquer novidade que os mova desse pequeno conforto pode causar uma série de falhas, produzidas pela força do hábito e desconhecimento da ferramenta.

Por isso, ao adotar uma nova tecnologia, é importante investir em um treinamento inicial para toda a equipe, além de acompanhar a evolução dos  seus processos, de modo a tornar passível de análise os erros persistentes, cuja presença provavelmente aponta para necessidade de reforço do treinamento.

 

  • Mudança de processos e baixo engajamento

Mudar processos é uma prática comum em empresas, afinal, elas estão constantemente buscando seu aperfeiçoamento e otimização. Mas ao mudar, também se faz necessário treinar toda a equipe para seguir regras novas. E mais uma vez, acabamos por lidar também aqui com a força do hábito e o que ele pode trazer de mais adverso. 

As pessoas, na maior parte do tempo, não costumam ser grandes fãs de mudanças repentinas. Mesmo porque, para que uma mudança vire hábito, isso também leva tempo e persistência, até que a nova atitude seja internalizada pelas pessoas, e cristalizada, finalmente, em um novo hábito. 

Os líderes precisam, portanto, acompanhar de perto as mudanças de processos até que elas finalmente cheguem à fase de consolidação em hábito da parte dos colaboradores, isto é, até que as falhas deixem de ser tão frequentes e numerosas, de modo que a mudança tenha passado a integrar com naturalidade os processos da empresa, e caso a resposta não tenha sido positiva, cabe realizar novas rodadas de treinamento.

 

  • Equipe desatualizada e baixo desempenho

A velocidade com a qual as coisas mudam no mundo faz com que seja, hoje, impossível considerar mesmo um profissional recém-saído da universidade imune à necessidade constante de atualização.

Contudo, não há como garantir que seus colaboradores por si só acompanhem as mudanças no mercado em que atuam, isso por razões diversas, que passam mesmo por questões financeiras pessoais de cada um.

Muitos líderes, no entanto, não se atentam ao fato de que, às vezes, o baixo desempenho do colaborador pode estar atrelado diretamente à falta de atualização. Por isso, é preciso entender e analisar as necessidades de suas equipes em termos de treinamentos e cursos de atualizações. 

Lembre-se que oferecer oportunidades de atualização não é mera despesa para sua empresa, mas antes um investimento em melhora do desempenho e engajamento dos colaboradores para com a empresa.

 

  • Falta de motivação

A menos que seus colaboradores tenham técnicas profissionais para dissimular sentimentos, é fácil notar quando a equipe está desanimada e desmotivada. 

O líder direto de um time, dada a sua convivência com os colaboradores, consegue observar quando uma postura muda, quando a qualidade das entregas está diferente, e mesmo quando não há mais interações propondo novidades, ou mesmo fazendo questionamentos (a falta de questionamento dos colaboradores nem sempre é sobre subserviência ou respeito à hierarquia, às vezes é sinal claro de desmotivação).

O modo como as pessoas se colocam no dia a dia da empresa diz muito sobre o quanto cada um está motivado no trabalho. Sendo assim, ao perceber que os colaboradores estão dando sinais de que as coisas não estão muito bem, talvez seja hora de entender as causas e buscar soluções.

Uma Pesquisa de Clima pode ajudar na identificação dessas causas, e ajudar a pensar soluções diversas, que vão desde a realização de dinâmicas motivacionais com as equipes até a melhora de benefícios.

A oferta de cursos como benefícios pode, inclusive, contribuir na questão da atualização dos seus funcionários. Neste outro artigo, você pode conferir quais as vantagens em incentivar a fluência em Inglês de seus colaboradores, e assim entender como a motivação dos seus funcionários por meio de um benefício pode ser igualmente benéfica para a sua empresa.

Muitas empresas ainda encaram a educação corporativa mais como um custo do que como um investimento, esquecendo que o treinamento e desenvolvimento de pessoas torna o seu negócio mais produtivo e eficiente.

Através de um trabalho constante de aprendizado e compartilhamento de conhecimentos, o que se faz é um uso adequado dos recursos da empresa, pois prioriza-se, assim, investimentos inteligentes em áreas onde a empresa pode se destacar no mundo dos negócios. 

 

Newsletter

Inscreva-se para receber conteúdos exclusivos.