Saiba porque a retenção de talentos é importante para as empresas

23 de janeiro de 2021
Por  Iron English

A retenção de talentos se faz mais do que necessária em meio a um mercado de trabalho competitivo como o atual. A estratégia é benéfica pois as empresas têm a necessidade de gerar bons resultados e se manter sempre à frente da concorrência.

É evidente que, para que isso aconteça, a presença de bons profissionais na equipe é algo fundamental. Mas como lidar com a falta de talentos no mercado e a urgência em continuar à frente, desenvolvendo um negócio?

A partir dessa questão, discutiremos a retenção de talentos como uma estratégia importante na qual gestores e líderes de RH podem se inspirar, visando manter os bons profissionais colaborando sempre para o crescimento da  empresa. Quer saber mais?

Neste artigo você vai encontrar:

  1. Por que fazer a retenção de talentos?
  2. Como identificar um talento?
  3. Estratégias para a retenção de talentos
    1. Criar um clima organizacional próspero
    2. Oferecer um bom plano de carreira
    3. Valorizar e incentivar a qualidade de vida
    4. Oferecer planos de capacitação
    5. Reconhecer e dar feedbacks constantes

 

Por que fazer a retenção de talentos?

O ingresso da geração Z no mercado de trabalho veio acompanhado de uma profunda mudança na forma como os colaboradores se relacionam com a vida profissional.  Hoje, mais do que nunca, o salário não é o fator decisivo que os prende em uma posição. Para eles, o propósito do trabalho tem um peso maior, por exemplo. 

Além disso, graças às redes profissionais estabelecidas nos meios digitais, as pessoas podem acompanhar de forma constante novas oportunidades de emprego surgindo na tela dos aparelhos eletrônicos – o que torna a disputa pelos bons profissionais infinitamente mais acirrada.

Assim, a relação que as empresas estabelecem com seus colaboradores é essencial, e impacta diretamente no desejo dos bons funcionários em continuarem trabalhando na companhia.

É aí que entra a importância das estratégias de retenção de talentos, as quais veremos com mais detalhes adiante nesse artigo. Mas antes, uma pergunta simples: você sabe como identificar talentos? Não? Então, aqui você aprenderá como!

Como identificar um talento?

Chamamos de “talentos” todos os colaboradores excepcionais, capazes de realizar plenamente as funções que lhes foram atribuídas e que, consequentemente, geram resultados de alta performance a partir da atuação nas áreas em que trabalham.

Talentos são também aqueles funcionários que, além de muito bem qualificados, têm o perfil do negócio. Isso acontece pois eles incorporam os valores da empresa, sendo verdadeiramente comprometidos com ela.

Na teoria, tudo isso é bastante óbvio. Não é difícil entender o conceito de “talento”. Mas e na prática? Como identificamos esses colaboradores dentro dos departamentos? 

Aqui vão algumas dicas básicas :

  1. Desafie o profissional com tarefas e projetos mais complexos do que aqueles que ele já está acostumado a realizar. Isso pode estimulá-lo a mostrar todas as habilidades e competências que até então não tinham sido dadas a público na empresa;
  2. Acompanhe de perto o trabalho desempenhado pelo profissional nesse momento de desafio: como ele se comporta, como se organiza e como se compromete com o resultado;
  3. Implante e monitore avaliações de desempenho na empresa, assim será possível medir a evolução de cada profissional ao longo do tempo;
  4. Ofereça chances de crescimento. Os colaboradores, sabendo das oportunidades, ficarão mais motivados a desempenhar um bom trabalho e será possível identificar com mais facilidade os interessados em crescer.
  5. Com os talentos já identificados, como retê-los?

Se você chegou até aqui é porque já aprendeu como identificar talentos em sua equipe. Agora é hora de conhecer boas práticas a serem implementadas para manter os bons profissionais engajados no trabalho.

Antes de citar as estratégias de retenção de talentos, vale, contudo, mais uma vez lembrarmos do porquê, afinal de contas, vale a pena pensar nesse tipo de conduta corporativa.

E a razão é muito simples: quando um líder ou gestor de RH adota práticas de valorização profissional, ele passa a criar as condições necessárias para que os colaboradores se sintam motivados. Profissionais motivados tendem a ter uma boa performance, o que aumenta, consequentemente, a produtividade da empresa.

Por isso, não tem mistério: uma gestão que possui um projeto de retenção de talentos se sobressai duplamente no mercado. Primeiro, por conseguir manter colaboradores de ponta no negócio; e, segundo, por estar à frente da concorrência devido aos excelentes resultados produzidos pela equipe.

Estratégias para a retenção de talentos

Criar um clima organizacional próspero

Um ambiente agradável, favorável às relações interpessoais e que estimule a criatividade, faz com que os profissionais trabalhem mais satisfeitos, aumentando, assim, o andamento das atividades.

Oferecer um bom plano de carreira

Se os profissionais souberem que têm chances concretas de crescimento dentro da própria empresa, se sentirão motivados a desempenhar melhor o trabalho, visando o crescimento e desenvolvimento profissional. 

Além disso, um plano de carreira agrega sentimentos de segurança, estabilidade e vontade de permanência da parte do colaborador em relação ao cargo ocupado. 

Valorizar e incentivar a qualidade de vida

Uma relação harmoniosa com os colaboradores é importante para muitos aspectos da vida dele, que extrapolam a garantia de um bom desempenho no trabalho. Zelar pela saúde mental do time é também prezar pelo capital humano da empresa. 

Por isso, o equilíbrio entre vida profissional e vida pessoal é fundamental para reduzir, por exemplo, as chances de problemas físicos e emocionais que o profissional possa desenvolver em função do estresse gerado no ambiente de trabalho. Ainda, é capaz de evitar a evasão do colaborador para outra companhia que ofereça uma qualidade de vida superior a da empresa atual. 

Nesse sentido, vale a pena pensar sobre a possibilidade de horários de trabalho flexíveis ou ainda sobre as chances de oferecer a possibilidade do trabalho em home office alguns dias da semana – regime adotado por muitas empresas durante a pandemia.

Estes são alguns exemplos de estratégias simples, mas que interferem diretamente na relação entre vida profissional e pessoal de um time.

No entanto, vale lembrar que, mesmo que se ofereça a possibilidade do colaborador trabalhar de casa, é preciso estar atento a quantidade de horas de trabalho que ele realizará remotamente.

Mantendo o equilíbrio durante o home office

Longe do escritório, é fácil que o funcionário se perca no controle sobre os seus momentos de pausa e fim de expediente. Extrapolar os limites de hora, ainda que de casa, pode ser prejudicial. Isso pode indicar que há uma dificuldade da parte do empregador em separar a vida profissional da pessoal, favorecendo a primeira em detrimento da segunda.

Portanto, ainda que o profissional esteja em trabalho remoto, é preciso criar maneiras de assegurar que o tempo dedicado ao trabalho esteja de acordo com o que foi combinado com a empresa. Além disso, é importante assegurar que a carga horária acordada por ambas as partes esteja dentro dos limites do bom senso. 

Oferecer planos de capacitação

Uma das principais formas de reter bons profissionais é investindo em capacitação.

O investimento na educação e no aperfeiçoamento de pessoal faz com que eles se sintam apoiados e motivados, pois reconhecem na empresa uma preocupação genuína com o aprimoramento de habilidades.

Também, um profissional capacitado trará inúmeros benefícios à empresa, pois à medida que se desenvolve profissionalmente, a performance e produtividade aumentam.

Daí a pertinência de investir na especialização por meio de cursos, workshops e treinamentos. O capital de conhecimentos advindo dessas iniciativas potencializará e lapidará as habilidades dos profissionais, expandindo os horizontes não só dos colaboradores, mas também da companhia.

Reconhecer e dar feedbacks constantes

Reconhecer um bom profissional e sua atuação, fazendo com que ele se sinta valorizado, é a chave para que ele continue se sentindo motivado a desenvolver a performance. 

É importante que o esforço profissional seja notado. Mas nem só de elogios é feito o crescimento profissional de um colaborador.

Nesse sentido, o feedback negativo é tão importante quanto o positivo, pois é através dele que é possível pontuar onde está a falha. Desse modo, o indivíduo pode saber como pode melhorar e por onde começar para alcançar o objetivo.

 

Essas são só algumas práticas que você, enquanto gestor ou líder de RH, pode trazer para sua empresa, visando não só melhora nos resultados, mas, sobretudo a manutenção de uma equipe motivada e produtiva que fortalecerá seu negócio e a forma como ele é visto no mercado.

 

O feedback para a retenção de talentos

Quer saber mais sobre a cultura de feedbacks e como implantar na sua empresa? Preencha o formulário e acesse um infográfico com dicas incríveis:


Newsletter

Inscreva-se para receber conteúdos exclusivos.