Por que falar inglês no Brasil?

27 de novembro de 2020
Por  ALEXANDRINE BRAMI

Dados do instituto cultural British Council afirmam que apenas 5% da população brasileira sabe se comunicar em inglês e, destes, apenas 1% tem realmente fluência no idioma. São números expressivos. Mas, afinal: o que sabemos, de verdade, sobre a realidade de quem não fala inglês no Brasil? 

A partir das lições que tiramos da nossa jornada enquanto escola de inglês online no mercado brasileiro, e dos depoimentos de nossos alunos, acreditamos ter reunido experiências significativas que nos ajudaram a pensar sobre o real cenário da aprendizagem do inglês enquanto língua estrangeira em nosso país, e, com isso, nos foi permitido pensar uma nova e inovadora maneira de ofertar aulas do idioma a todos aqueles que precisam aprender o inglês de maneira rápida, efetiva e eficiente. 

Por isso, se você ficou curioso em saber como tomamos esses dados inexpressivos de falantes de inglês em território brasileiro como mote de nossa transformação, que tem por missão maior revolucionar o ensino-aprendizagem do inglês no Brasil, continue a leitura deste artigo!

 

O que há por trás das baixas taxas de falantes de inglês no país? 

 

Por trás dos números e estatísticas que envolvem a porcentagem de não-falantes de inglês no Brasil, existem pessoas com histórias de aprendizado muito distintas entre si. 

Por vezes, entre a imensa maioria daqueles que não dominam ainda o idioma, o que não falta é justamente a vontade de aprendê-lo, afinal, quem nunca passou por um momento em que o domínio do inglês seria importantíssimo ou até mesmo crucial em sua vida? Fosse para se candidatar a uma boa vaga de emprego em uma empresa de alcance internacional, fosse em situações simples, de turismo, onde se comunicar bem na língua teria poupado algumas dores de cabeça.

Fato é que muitos fatores podem constituir verdadeiros obstáculos a esse sonho de fluência; às vezes, são questões materiais e de acesso a bons cursos de língua que estão em jogo; outras vezes ainda, são motivos mais profundos que são determinantes para o desenvolvimento dos sujeitos no idioma, posto que envolvem medos e inseguranças pessoais de cada um.

Na IE, nós ouvimos inúmeras vezes relatos de situações constrangedoras, frustrantes e limitadoras que aconteceram e marcaram de forma recorrente as trajetórias daqueles que, antes de chegarem ao nosso método, não dominavam o inglês. Por isso, decidimos que fazer a diferença na vida dessas pessoas já tão frustradas com o idioma seria nosso principal objetivo, pois gostaríamos de mostrar que aprender uma língua estrangeira não precisa e não deve ser fonte de traumas (e muito menos de frustrações) para nenhum aluno.

 

Qual deve ser sua motivação para falar inglês no seu país?

Cada aluno possui os seus objetivos e motivações pessoais para aprender inglês. Afinal, conhecer um novo idioma vai muito além de aprender regras gramaticais e decorar listas de vocabulário. Falar uma língua estrangeira, e principalmente o inglês (essa língua que é, a bem da verdade, universal), possibilita o acesso a diferentes culturas, ideias, formas de ver e pensar o mundo, além de ser um diferencial competitivo no mercado de trabalho, abrindo portas para mais e melhores oportunidades profissionais.

 

Buscando entender melhor as motivações de nossos alunos, perguntamos para eles o que os motivava a aprender inglês, e obtivemos as seguintes respostas: 

 

  • Para alguns, falar inglês representa liberdade e autonomia, e a possibilidade de evoluir em suas carreiras, ao permitir que se comuniquem com clientes e parceiros internacionais de forma segura e confiante.

  • Para outros, o inglês é uma porta de entrada para um estudo mais profundo de sua área de atuação, e uma habilidade muito importante para sua pós-graduação, mestrado ou doutorado, considerando que muitos livros e conteúdos específicos são disponibilizados em inglês, e não contam com tradução para o português, o que dificulta o acesso de alunos brasileiros aos ditos materiais.

 

  • Há ainda aqueles que objetivam aprender o idioma para poder transmitir este aprendizado para outras pessoas, uma prática benéfica tanto para aqueles que aprendem quanto para os que ensinam. Pois promover o aprendizado aos membros de uma comunidade contribui para a evolução de todo o ecossistema a sua volta, além de representar uma possível nova fonte de renda.

 

  • Os alunos que  irão realizar viagens internacionais desejam aprender inglês para se comunicar sem depender de nenhum amigo ou tradutor; especialmente frente à necessidade de interação com pessoas em hotéis, restaurantes, serviços de transporte, pontos turísticos, encontro de negócios, entre outras situações recorrentes em viagens.

 

Em todos os casos, contudo, os alunos mostravam-se frequentemente insatisfeitos com metodologias tradicionais de ensino com as quais tinham tido previamente contato, já que essas não foram capazes de os engajar antes, quando tentaram aprender o idioma. Esses métodos antiquados acabavam tomando muito tempo dos alunos, e ainda demoravam a transmitir conteúdos essenciais para o seu desenvolvimento na língua inglesa.

 


Aprendendo com nossos próprios erros

 

Em plena pandemia de Covid-19, foi lançada a Iron English, a escola de inglês online do IFESP, com um objetivo bastante claro: capacitar em tempo recorde os brasileiros que mais precisavam do inglês no seu dia a dia, tais como profissionais de TI, executivos de negócios internacionais e candidatos a MBA no exterior. 

No entanto, o nosso curso Básico (nível A1, de acordo com a escala europeia CEFR), por ser muito aprofundado, criava certos percalços para aqueles que não tinham necessariamente uma base consolidada no idioma antes, posto que requeria um conhecimento elementar prévio da língua inglesa para seu maior proveito. O resultado disso, é claro, passou pela desmotivação dos nossos aprendizes que, com razão, viram no nível iniciante uma dificuldade linguística que parecia, aos seus olhos, quase intransponível naquele momento, dados os seus recursos linguísticos durante aquela fase inicial de aquisição da dita língua estrangeira. 

Logo decidimos, então, criar turmas de “A0”, um curso voltado para aqueles que possuem pouco ou nenhum conhecimento da língua inglesa e/ou sentem  necessidade de destravar um bloqueio antigo relativo ao aprendizado de uma língua estrangeira. Desenhamos, assim, o programa “Fast Track – Certificado A1”, totalmente aderente às expectativas desses alunos: um projeto intensivo de aquisição do inglês, com foco em objetivos claros e progresso rápido, que trabalha todas as competências do idioma e permite ao aluno que obtenha um certificado de atestação de nível, o que é, afinal, muito importante para o mercado de trabalho. 

 

Lançamos um challenge 

 

Para validar o programa, lançamos um challenge: selecionamos 15 profissionais de várias áreas e diferentes locais do Brasil, entre 18 e 45 anos, cuja função seria participar ativamente da primeira turma do Fast Track da Iron English; tudo isso completamente sem custos para os participantes, de modo que eles pudessem nos trazer insights e críticas construtivas, para, assim, ajustarmos as melhorias necessárias em nossa oferta de aulas de inglês. 

Fomos ousados: durante 15 dias, fizemos 15 horas de aulas ao vivo e, ao final desse período, os estudantes saíram prontos para encarar o nível A1, recebendo acesso ilimitado durante 30 dias à escola virtual Iron English.

 

Uma parceria win-win

 

Neste programa intensivo de ensino, trabalhamos de forma colaborativa, um ajudando outro:

 

  • Nós, enquanto escola, fornecemos conteúdos modernos para o aprendizado em diferentes formatos, além de ferramentas educacionais que promovem uma aprendizagem prazerosa e instigante por meio de diferentes estratégias de ensino; nossos alunos aprendem aspectos linguísticos e culturais do idioma de maneira eficiente e rápida, com todo suporte humano e tecnológico necessário para seu sucesso.

 

  • Do outro lado, os nossos alunos testadores, chamados de “beta testers”, nos ajudam com o seu feedback, apontando o que funciona e o que pode ser aprimorado em nosso curso, para que nosso método se torne cada vez mais eficiente em oferecer um ensino de qualidade que possibilite o aprendizado em tempo recorde.

 

  • E os alunos contribuem uns com os outros, praticando o idioma e enfrentando juntos os seus medos e bloqueios, para que se tornem cada vez mais capazes de expressar seus pensamentos e ideias para o mundo, e o mais importante: em inglês.

 

Mas afinal, quem somos? Como você, caro leitor: eternos aprendizes. 

 

E também um time de educadores e empreendedores apaixonados por uma educação inovadora. Nosso time é composto por franceses, americanos, ingleses, brasileiros, sul africanos e australianos. Juntos, temos um só objetivo: engajar e desenvolver nossos alunos.

 

Se você gostou da nossa proposta e quer ser, você também, Fast Track e destravar o seu inglês, aproveite as condições especiais de Black Friday clicando aqui!

Newsletter

Inscreva-se para receber conteúdos exclusivos.